Notícias  
Brasileiros em Portugal ajudam a economia lusa
 

Ambos os países, ultimamente, passam por processos sociais e econômicos que facilitam a ida de brasileiros a Portugal. Muitos estão deixando o Brasil por causa da crise que afetou o País nos últimos anos.
No último balanço do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), de Portugal, em 2016 havia 81.251 brasileiros legalizados no país. Em 2017, segundo a embaixada portuguesa no Brasil, cerca de 9,5 mil vistos de entrada foram emitidos para brasileiros, o que significa um aumento de cerca de 50% em relação a 2016 e 125% em relação a 2015.

No mesmo ano de 2017 as exportações cresceram 11%; a economia cresceu 2,7% e a recuperação dos investimentos foi em torno de 14%, segundo o ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral. As altas em geral foram maiores do que a dos anos anteriores.

A chegada de brasileiros a Portugal é, portanto, compatível com as aspirações do governo português, que busca recuperar a perda de cidadãos qualificados que deixaram o país entre 2004 e 2010, ápice da recessão portuguesa.

Segundo Célia Aguiar, associada de uma grande imobiliária portuguesa, a chegada de brasileiros, principalmente para adquirir imóveis e obter o golden visa (visto para investidores), é algo que tem contribuído para a economia do país. "Não há qualquer tipo de hostilidade ou incômodo com a chegada de brasileiros.Os portugueses aceitam com agrado o investimento estrangeiro em Portugal", disse Célia.

O objetivo, com a vinda de novos moradores, é também recuperar um contingente populacional, para manter minimamente estável a densidade demográfica em Portugal nos próximos anos. Quem diz isso é Paulo Ayres, de 39 anos, brasileiro que trabalha com recrutamento de pessoas para empresas e foi morar em Portugal no início deste ano. Ayres se estabeleceu no país com a esposa de 30 anos e com o filho, de dois anos e meio.

Ele explica o porquê deste grande número de brasileiros ser, na maioria dos casos, bem-visto. Inclusive porque o perfil da atual onda imigratória de brasileiros é diferente dos anos 80, quando a maioria era formada por cidadãos sem a mesma qualificação profissional dos que hoje vão morar em Portugal.
Fonte: R7

 
« Voltar