Opinião  
 


"As ligações entre Brasil e Portugal não conhecem fronteiras. Estão no cerne do nascimento de São Paulo, quando chegaram os primeiros jesuítas para plantar as sementes daquela que seria a maior cidade brasileira e uma das maiores do mundo e que guarda até hoje as influências lusitanas.

A herança portuguesa está presente em nossa história, em nossa cultura, em nosso povo, em nossos corações. Influencia nossa forma de pensar, sentir, cantar, escrever, construir, cozinhar e sonhar. Ajudou a formar o povo que somos hoje."



 
Luiz Flávio Borges D´Urso - Presidente da OAB/SP
 
PERFIL
 

Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção São Paulo. Eleito presidente da OAB SP pela primeira vez em 2003 para o triênio 2004/2006 e reeleito para o triênio 2007/2009. O criminalista Luiz Flávio Borges D’Urso tem 47 anos e é advogado militante há 24. Possui mestrado e doutorado em Direito Penal pela Faculdade de Direito da USP e especialização na área criminal pela Faculdade de Direito Castilla-La Mancha, Espanha. Foi membro do Conselho Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, representando a OAB Federal.

Também integrou o Conselho Consultivo da Escola Nacional de Advocacia da OAB Federal, o Conselho Nacional de Comunicação do Congresso Nacional, como vice-presidente, e é presidente de honra da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas e da Academia Brasileira de Direito Criminal. Integra como membro o Instituto dos Advogados de São Paulo e a Associação dos Advogados de São Paulo, além de ser conselheiro consultivo da Associação Comercial de São Paulo, já foi diretor pleno e conselheiro deliberativo dessa entidade.

Por duas gestões foi presidente do Conselho Estadual de Política Criminal e Penitenciária do Estado de São Paulo e, por quatro gestões, foi membro do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, do Ministério da Justiça. Em 1997 e 1998 foi membro da Comissão Especial de Reforma da Lei de Execução Penal, designado pelo ministro da Justiça. No ano seguinte, foi indicado pelo Conselho Federal da OAB para compor a Comissão de Reforma da Lei de Execução Penal.

Na OAB SP foi diretor cultural por duas gestões, 1998/2000 e 2001/2003. Foi, também, criador e coordenador do Conselho do Jovem Advogado e do Núcleo de Desenvolvimento Acadêmico, e membro da Comissão de Direitos e Prerrogativas. Ocupou o cargo de Conselheiro Seccional da OAB SP por três gestões 95/97; 98/2000 e 2001/2003, antes de ser eleito presidente.

Autor de vários livros, lecionou Direito Penal e Processual Penal em diversas faculdades, entre elas, as Faculdades de Direito da USP, FMU e da Universidade São Francisco.

É casado com Ancila D´Urso e pai de quatro filhos; os dois mais velhos são estudantes de Direito.


 
« Voltar