Opinião  
 

"Ao desembarcar no Brasil com meus pais aos dois anos de idade, mal podia em tão tenra idade me perguntar: - o que o destino nos reservaria num cenário em tudo mítico de uma criança que mal andava, quanto mais querer saber... – a vida era pura fantasia, como deve ser!

No seio da família, regada a saudade dos meus pais, fui crescendo com um sentimento misto de que ora estava no Brasil dos nossos sonhos, ora com um pé ainda em Portugal. – Acho que este é um sentimento comum entre nós!

Quando ouvimos pela primeira vez com lágrimas nos olhos o “Fado Tropical” do escritor Chico Buarque de Hollanda, ficamos com a sensação de que aquela canção tinha sido feita para nós. – Sabemos bem o que significa: “ai esta terra ainda vai cumprir seu ideal... – ainda vai tornar-se um imenso Portugal”!

Acreditamos que somos testemunhas privilegiadas deste lindo fado!

Esse mesmo pensamento me faz admirar o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira através de seu Presidente Antonio de Almeida e Silva e a sua diretoria, que tão bem praticam a união e o congraçamento entre todas as associações portuguesas de São Paulo e o bom relacionamento junto às autoridades brasileiras, zelando sempre pelo bem comum entre todas das relações Brasil e Portugal.

 
Maria Conceição Mendes de Lemos, secretária executiva da Casa de Portugal
 
PERFIL
 

Natural de Castro Daire – Distrito de Viseu – veio para o Brasil com os pais aos dois anos de idade. Paralelo aos estudos, começou a trabalhar aos 16 anos em uma agência de Turismo voltada para a Comunidade Portuguesa, onde permaneceu por 14 anos.

Casou-se com Ernesto Lemos, é mãe de duas filhas: Ana Flávia Mendes Lemos e Ana Cristina Lemos Ferreira.

Participou do primeiro Grupo Folclórico de danças Portuguesas de São Paulo, Grupo Folclórico “Carvalho Araujo” e também Grupo Folclórico da Casa de Portugal de São Paulo, onde cuidou do seu acervo por 17 anos.

Atualmente exerce o cargo de Secretária Executiva da Casa de Portugal de São Paulo desde abril de 1.999 até o dia de hoje.

 
« Voltar