“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

NOTÍCIAS
Escritora portuguesa leva o Prêmio Oceanos

Foi a primeira vez que um livro de não-ficção foi escolhido para o prêmio máximo pelo júri da fase final, que também distinguiu os romances “Museu da Revolução”, do escritor moçambicano João Paulo Borges Coelho, e “O som do rugido da onça”, da brasileira Micheliny Verunschk, que ficaram com o segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Com cerca de 500 páginas e 350 fotografias em cores, “Líbano, Labirinto”, lançado em 2021 em Portugal pela editora Caminho, centra-se em dois grandes acontecimentos que mudaram a vida recente do Líbano, a revolução de 2019, em plena derrocada econômica, e a explosão de 2020, no porto de Beirute, uma das maiores detonações não atômicas de que há registro no planeta.

Alexandra Lucas Coelho tem 14 livros publicados, entre romances, obras de não-ficção e infantojuvenis. Estudou Comunicação na Universidade Nova de Lisboa, Teatro no Instituto de Formação, Investigação e Criação Teatral (IFICT), e “Portugal Islâmico e o Mediterrâneo” no Centro Arqueológico de Mértola.

A vencedora do prêmio Oceanos 2022 trabalhou dez anos em rádio e 20 no jornal Público, como repórter, cronista, editora e correspondente, faz atualmente, para a RTP, o programa “Volta ao Mundo em Cem Livros”, e recebeu vários prêmios de jornalismo e de literatura, como o Grande Prêmio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, por “Noite Roda”, e o Grande Prêmio De Literatura de Viagens Maria Ondina Braga, por “Cinco Voltas na Bahia e um beijo para Caetano Veloso”.

O valor total do prêmio, de acordo com a Lusa, é de 250 mil reais (cerca de 45,3 mil euros na cotação atual), sendo 120 mil reais (21,8 mil euros) destinados ao vencedor do primeiro lugar, 80 mil para o segundo (14,5 mil euros) e 50 mil para o terceiro (nove mil euros). Concorreram à edição de 2022 do Prêmio Oceanos 2.452 obras escritas por autores de 17 diferentes nacionalidades e publicadas em sete países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal.

O Prêmio Oceanos é realizado por via da Lei de Incentivo à Cultura, pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo do Brasil, e conta com o patrocínio do Banco Itaú e da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas da República Portuguesa, assim como com o apoio do Itaú Cultural, do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde e do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa, além do apoio institucional da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Fontes: Câmara Portuguesa e Forbes África Lusófona

Boas informações históricas: o Museu Paulista, mais conhecido como Museu do Ipiranga, inaugurou no aniversário da cidade de São Paulo, 25 de janeiro, um novo espaço com uma exposição dedicada às Memórias da Independência.
A Capital ganhou no dia de seu aniversário, 25 de janeiro, a exposição fotográfica “A Cara de São Paulo - 2023” dos fotógrafos Catarina Machado e José Barbosa, já em sua terceira edição e que fica à disposição do público até 15 de fevereiro no Shopping Cidade São Paulo, na Avenida Paulista.
Entre 26 de janeiro e 4 de fevereiro, estará acontecendo a primeira deslocação oficial do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas (SECP), Paulo Cafôfo, junto dos portugueses e lusodescendentes no Brasil, de acordo com o governo português.
Patrocinadores:
GOLD
São Critóvão
Apoio:
Apoio
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo