“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

NOTÍCIAS
Reunião da diretoria do CCLB

O presidente do Conselho, Manuel Magno Alves, iniciou o encontro sempre confiante na participação e ações de sua diretoria e disse: “temos muito trabalho neste 2023 e estamos determinados neste período pós-pandemia com pleno retorno às nossas atividades”. 

O encontro começou com a apreciação das contas do ano de 2022, já com aprovação do Conselho de Fiscal;  também com a apreciação do relatório de atividades do ano de 2022, já encaminhado à Secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania, na qual  o Conselho obteve  a renovação do Certificado de Utilidade Pública. Por último a diretoria fez análises com foco e algumas considerações sobre as comemorações alusivas ao 22 de Abril – “Dia da Comunidade Luso-Brasileira e do Descobrimento do Brasil”.

Na oportunidade, o presidente Magno sugeriu que é preciso haver um chamamento em relação aos mais jovens da nossa comunidade. “Seria interessante que os jovens participassem das Associações em suas regiões, prestigiando as atividades culturais e gastronômicas que propagam e perpetuam a nossa história”. 

Em relação ao Dia do Descobrimento do Brasil –  22 de abril de 1500 – data em que os portugueses chegaram às terras onde, mais tarde seria o Brasil, o nosso Conselho, com certeza, fará suas devidas comemorações. “Estamos analisando com nossa diretoria e até com os presidentes de nossas Associações para comemoramos este dia que é extremamente importante para todos nós. Já estamos trabalhando em torno desta data que, além do Descobrimento, também comemora  o dia da Comunidade Luso-Brasileira, e assim logo mais avisaremos  a programação para todo nosso público interessado em celebrar 22 de abril”, informou o presidente Magno”. 

A tradição portuguesa se faz presente em diversas dimensões e a realização das festas em que se perpetua a maneira de ser da comunidade é uma realidade. Nossas festas, nossos eventos aí estão para mostrar o que há de bom na música, na gastronomia, na história luso-brasileira. Acompanhe e participe dos próximos acontecimentos que, com certeza, unem cada vez mais as duas nações.
O Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo (CCLB) realizou reunião de Diretoria de 2024, em 29 de maio, às 18h30, na sala de reuniões da Casa de Portugal, bairro da Liberdade, Capital. Na oportunidade, Antero José Pereira, presidente do CCLB, mostrou seu empenho com foco do desenvolvimento da entidade, passando por um devido planejamento e sempre contando com a participação do trabalho dos diretores do Conselho.
Portugal e Brasil renovaram, por mais cinco anos, um memorando de entendimento de apoio às aulas de língua portuguesa na Escola Internacional das Nações Unidas (UNIS), segundo fontes oficiais da Lusa.
Patrocinadores
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo