“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

Opinião
Opinião

OPINIÃO

Opinião

Laurete Godoy nasceu na cidade de Santos e sempre gostou de praticar esportes, estudar, pesquisar e escrever. Foi campeã sul-americana de revezamento 4 x 100 metros rasos, é professora de Educação Física e pós-graduada em Administração Esportiva pela USP. Como membro da administração, integrou delegações brasileiras aos Jogos Olímpicos de Moscou e Los Angeles (1980 e 1984), e em 1988 foi consultora da TV Globo para assuntos de Olimpismo, durante os Jogos de Seul. Palestrante e cronista, escreveu livros sobre os Jogos Olímpicos, aviação no Brasil e infanto-juvenis. É Cidadã Honorária da cidade de Santos Dumont, em Minas Gerais, Membro Honorário da Força Aérea Brasileira, membro-correspondente da Academia Santos-Dumont da Argentina, atuou como Embaixadora de Santos-Dumont no programa O Maior Brasileiro de Todos os Tempos, do SBT (2012), e foi congratulada com outras honrarias e medalhas.

Laurete Godoy

A oportunidade de preservar a memória de Bartolomeu Lourenço de Gusmão valoriza o trabalho desenvolvido pelo Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo e coloca Brasil e Portugal no lugar de honra em que merecem estar no campo das Ciências Aeronáuticas.

Bartolomeu nasceu na cidade de Santos, em São Paulo, em dezembro de 1685 e foi registrado como “português nascido no Brasil” porque o Brasil era colônia de Portugal. Aprendeu as primeiras letras na cidade natal e, a seguir, tutelado pelo jesuíta Alexandre de Gusmão, foi estudar em Cachoeira do Paraguaçu, na Bahia, no seminário que era considerado na época um dos melhores estabelecimentos de ensino do Brasil. Em terras baianas, Bartolomeu deu as primeiras provas de sua mente prodigiosa ao inventar uma “engenhoca” que causou sensação, porque transportou água do Rio Pitanga para o interior do seminário. Por se tratar do primeiro invento patenteado no continente americano, Bartolomeu de Gusmão é considerado o “Primeiro Cientista das Américas”.

Porém, seu momento de glória ocorreu em Lisboa no dia 8 de agosto de 1709. No Palácio Real, diante do Rei D. João V, da Rainha Dona Maria Ana de Áustria, do Núncio Apostólico, embaixadores e autoridades de vários países, o jovem Bartolomeu realizou a primeira experiência pública bem-sucedida com um balão a ar quente. Por essa extraordinária façanha passou a ser chamado Padre Voador e deu o primeiro passo na estrada que, vários séculos mais tarde, levaria o homem à Lua.

Tendo sido a capital portuguesa o cenário onde foi apresentado ao mundo o aparelho mais leve que o ar, no campo da Aeronáutica a cidade de Lisboa adquire a mesma importância que Paris, onde o também brasileiro Alberto Santos-Dumont fez a primeira experiência pública bem-sucedida com um aparelho mais pesado que o ar.

Mas é importante esclarecer que os momentos aeronáuticos de sucesso que unem Brasil e Portugal não param em Bartolomeu de Gusmão! Se em 1709 ele foi considerado herói de duas pátrias, idêntico título foi conferido 213 anos mais tarde a dois oficiais da Marinha Portuguesa. A honra coube a Gago Coutinho e Sacadura Cabral, que, pelo ar, em 1922, uniram a Europa à América do Sul e foram recepcionados no Brasil e em Portugal como verdadeiros heróis nacionais. Corações brasileiros e lusitanos pulsaram no mesmo ritmo de amor e patriotismo.

A possibilidade de divulgar esses fatos gloriosos da Aeronáutica Internacional confirma o trabalho profícuo do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo, que objetiva preservar a cultura luso-brasileira em toda a sua extensão promovendo, ao mesmo tempo, a consolidação dos laços históricos e afetivos que unem Brasil e Portugal.

Patrocinadores:
Premium
São Critóvão
Silver
BBR
Apoio:
Apoio
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo