“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

Opinião
Opinião

OPINIÃO

Opinião

Natural de Oura, Conselho de Chaves, em Trás-os-Montes, Manuel Magno Alves chega ao Brasil em 1955, e neste país iniciou seus estudos, culminando com sua graduação e pós-graduação na área do Direito.

Em 1962 inicia sua carreira profissional, ingressando na área bancária e nela atuando até 1974, quando se volta para o setor financeiro da área industrial, até 1980.

De 1980 a 1991, participa da área imobiliária, com empresa lançadora de loteamentos populares em algumas cidades do interior de São Paulo e construindo conjuntos de casas e prédios residenciais.

Em 1992 instala sua banca de advocacia, MAGNO ADVOGADOS ASSOCIADOS, passando a atuar junto a indústrias, bancos e financeiras, trabalho que desenvolve até esta data. Em 1994 cria a empresa MAGNO SERVIÇOS DE COBRANÇA para prestar serviços a bancos, financeiras e indústrias.
Em 2007 funda a LUSICRED SERVIÇOS FINANCEIROS para atuar na área de financiamento de veículos e empréstimos pessoais, com exclusividade para um grande banco.

É eleito em 2009 para o cargo de Diretor da Casa de Portugal de São Paulo, exercendo vários cargos e onde permanece até esta data. No mesmo ano é eleito para o cargo de Diretor Tesoureiro da ANEPS – Associação Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondente no País, cargo que exerce até esta data.

Em 2010 cria a empresa MAGNO PRESTADORA DE SERVIÇOS com atuação voltada para o segmento educacional, comercial e de telefonia. De 2010 a 2012 exerceu o cargo de Diretor de Relações com o Mercado do IGEOC – Instituto de Excelência Operacional em Cobrança, que reúne as maiores empresas desse segmento no país.

Em 2011 é eleito para o cargo de Diretor do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira onde, no mandato atual, exerce o cargo de Diretor jurídico.
Em 2014 foi eleito, para mandato até 2016, Membro Efetivo do Conselho Fiscal do SINDANEPS – Sindicato Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondentes no país.

Em 2014 assume o cargo de Membro do Conselho Diretor da Associação Comercial de São Paulo – Distrital Mooca. Em fevereiro de 2015 é eleito Presidente da Secção de São Paulo do PSD – Partido Social Democrata, de Portugal, cargo que exerce até esta data.

Em abril de 2016 é eleito Diretor Jurídico do SINDANEPS – Sindicato Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondentes no País.
Em 15 de agosto de 2017, recebeu a Medalha Constitucionalista, oferecida pela Sociedade Veteranos de 1932 – MMDC. Em 29 de agosto de 2017 foi homenageado pelo CONSCRE – Conselho Estadual Parlamentar das Comunidades de Raízes e Culturas Estrangeiras, por sua atuação junto à Comunidade Luso-brasileira.

Manuel Magno Alves
Empresário e advogado

Brasil e Portugal iniciaram relações por volta de 1532, ou seja, já muito próximo de completar cinco séculos.

De lá para cá, muita coisa mudou.

E para melhor.

As relações entre os dois países contemplam, hoje, cooperações e ações diplomáticas, econômicas, sociais, culturais, técnicas e científicas, havendo interesse dos dois países em continuar e melhorar também os volumes de comércio, bem como de investimentos.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, mais de 60 acordos bilaterais foram firmados entre Brasil e Portugal nos últimos 100 anos. Dentre eles, um dos mais importantes para a comunidade Luso-Brasileira é a Convenção sobre Igualdade de Direitos e Deveres de 1971, que determinou a equiparação entre cidadãos portugueses e brasileiros.

Por seu tamanho, o Brasil apresenta-se como parceiro relevante nas relações econômicas e comerciais de Portugal.

Mas não é só.

Se olharmos para o intercâmbio de estudantes entre os dois países, veremos que Portugal tornou-se um dos principais destinos de estudantes brasileiros objetivando lá formar-se ou complementar seus estudos em uma das muitas universidades.

De outro lado temos o turismo, que no passado ano de 2017, Portugal recebeu aproximadamente 21 milhões de turistas e, destes, algo perto de 70% eram brasileiros. Naturalmente, o fato de a língua ser comum, em muito ajuda neste aspecto.

Com relação aos investimentos, temos que nada menos que 25% das vendas de imóveis no ano findo foram adquiridos por brasileiros.

Eis que em 22/04/67, foi dada a lume a Lei 5.270, oficializando juridicamente a data de 22 de abril como sendo o “Dia da Comunidade Luso-Brasileira”, vez que brasileiros e portugueses percorrem os mesmos caminhos, guiados pela união nascida de há muito tempo pela história dos dois países.

A força desta comunidade foi demonstrada recentemente pela visita ilustre do presidente da república Portuguesa, Dr. Marcelo Rebelo de Souza e do primeiro ministro, Antonio Costa, algo inédito pois as visitas dessas autoridades muito raramente se dão em conjunto.

Esta visita foi realmente um grande momento para a comunidade portuguesa e luso-brasileira, que teve a oportunidade de levar suas demandas diretamente às suas maiores autoridades.

Neste cenário, O Conselho da Comunidade Luso Brasileira, brilhantemente capitaneado por seu presidente Dr. Antonio de Almeida e Silva, tem sabido comemorar todas as importantes datas cívicas de Portugal, com ações que visam manter fortes as raízes de nossa gente e sinalizando de forma cristalina os caminhos a ser trilhados por essa Comunidade, para seu engrandecimento e representatividade em nosso País.

Patrocinadores:
Premium
São Critóvão
Silver
BBR
Apoio:
Apoio
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo