“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

Opinião
Opinião

OPINIÃO

Opinião

Neto de portugueses (avô nascido no ano de 1917 em Vila Nova de Gaia / Porto; avó no ano de 1922 em Macedo de Cavaleiros / Terras de Trás-os-Montes).
· Assessor Jurídico da Associação Santa Marcelina – Faculdades e Colégios Santa Marcelina (2014 – atualmente)
· Diretor Jurídico do CCLB – Conselho da Comunidade Luso-Brasileira (2018-2020)
· Membro do Conselho de Especialistas do FONIF – Fórum Nacional de Instituições Filantrópicas
·Graduando em Filosofia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
· Membro do Laboratório de Ética da Universidade Presbiteriana Mackenzie
· Pós-Graduado em Gestão do Terceiro Setor pela Universidade São Judas Tadeu
· Pós-Graduado em Direito Educacional pelo Centro de Extensão Universitário
2) Já atuou como:
·Advogado na Universidade São Judas Tadeu (1997-2000)
·Advogado na FOS – Federação de Obras Social (2000-2002)
·Assessor Jurídico da Fundação de Rotarianos de São Paulo – Faculdades e Colégios Rio Branco (2002-2014)
· Membro da Comissão de Governança no Terceiro Setor do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, colaborando na revisão do Guia das Melhores Práticas de Governança para Fundações e Institutos Empresariais e na elaboração do Guia das Melhores Práticas para Organizações do Terceiro Setor: Associações e Fundações
·Membro Eleito do COMAS – Conselho Municipal de Assistência Social de São Paulo (COMAS)
· Membro da Diretoria da REBRATES – Rede Brasileira do Terceiro Setor
· Presidente da Comissão de Estruturação e Avaliação de Policiamento Comunitário da Polícia Militar do Estado de São Paulo

Nilton Padredi
Assessor Jurídico da Associação Santa Marcelina e diretor jurídico do CCLB

A benéfica relação entre Brasil e Portugal teve seu início com o descobrimento em 1500, passando pela independência em 1822 até a grande imigração do século XIX e XX. Atualmente, à luz do crescente fortalecimento de vínculos entre as duas nações coirmãs, é cristalino o desejo recíproco de construir uma Casa Comum e uma rede de valorização e expansão histórica, econômica, cultural, educacional e outras, tudo consubstanciado na célebre frase de Tancredo Neves, gravada no monumento Pedro Álvares Cabral: “A Portugal, devemos tudo: nosso sangue, a nossa história, a origem das nossas instituições livres, o espaço amplo que habitamos”.

Neste sentido, para potencializar ainda mais a fraterna relação entre Brasil e Portugal, o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo tem um papel desafiador em “convergir, defender e incentivar os valores de Portugal na comunidade luso-brasileira” e em “ser o órgão de representação, preservação e defesa dos valores que unem Portugal e Brasil”, tudo devidamente explicitado em seu inédito Planejamento Estratégico de 2018 – 2020, que será realizado com a desejável parceria dos órgãos de representação diplomática.

Assim, entendo que todas as partes interessadas (sejam elas de natureza coletiva ou individual, pública ou privada, diplomática ou não) devem empenhar seus esforços no sentido de trabalhar, árdua e ativamente, na consolidação e engrandecimento das relações entre Brasil e Portugal, que serão sempre manifestadas na pedagogia do exemplo e no sincero orgulho de conter em si o desbravador sangue português.

Patrocinadores:
Premium
São Critóvão
Silver
BBR
Apoio:
Apoio
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo