“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

Opinião
Opinião

OPINIÃO

Opinião

Brasileiro, casado pai de três filhos.
Natural da cidade de Santo André, ABC Paulista (28 de março de 1960).
Jornalista responsável pela assinatura da publicação “Mundo Lusíada”.
Fotógrafo e também atua na área de criação publicitária.

Odair Sene
Jornalista

Esta coluna de opinião que o Conselho me pediu para fazer (e que agradeço), me fez lembrar de uma curta intervenção que fiz certa vez na Câmara Municipal em Oeiras (Lisboa) em um encontro de Comunicação Social e uma das atividades era uma visita à Câmara.

Naquela ocasião, e perante dezenas de editores lusófonos de diversos países, eu “defendi” minha pele ao me apresentar, dizendo que em qualquer país daqueles representados (ali presentes) seria mais fácil para qualquer português falar, promover, noticiar assuntos sobre Portugal nos seus países de acolhimento, pois estavam falando do lugar onde saíram.

Eu, no entanto, que nunca havia saído do Brasil, estava a divulgar Portugal como se estivesse nascido em terras lusitanas. E isso não era muito fácil. Ganhar respeito de dirigentes associativos, dos leitores, de políticos, dos assinantes e dos anunciantes, isso não era nada fácil. Portanto minha vitória era espetacularmente mais comemorada e minha satisfação ali era para não esquecer jamais.

E isso agora posso falar, com mais veemência ainda, aqui no “ninho” do Conselho da Comunidade Luso Brasileira de São Paulo. Porque é onde se sabe, melhor que em qualquer lugar, que defender as coisas de Portugal, da cultura e da vida luso brasileira, para um emigrante é algo quase como uma “obrigação” em defender sua bandeira. Já no caso de um brasileiro, sem qualquer obrigação, disseminar o nome de Portugal, como fazemos há quase 20 anos aqui no jornal, isso é muito mais que um gosto qualquer e valorizado por qualquer português que saiba dar valor às sua terra.

Encerro aqui minha participação parabenizando o Presidente Antonio de Almeida e Silva (neste final de mandato) por sua dedicação ao Conselho da Comunidade nesses anos todos (cerca de duas décadas) trabalhando para manter a imagem do Conselho sempre muito ativa perante órgãos brasileiros, luso brasileiros e portugueses. Que tenha futuro promissor na próxima gestão.

Neste sentido ainda quero agradecer ao Conselho, pelo espaço dado a mim, e parabenizar este órgão com objetivos, antes de tudo, de congregar pessoas, e não só portuguesas, mas gente como eu que não nasci lá, mas não sou daqui,
acho!

E como dizemos lá: bem hajam!

Patrocinadores:
Premium
São Critóvão
Silver
BBR
Apoio:
Apoio
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo