“Todo homem tem deveres com a comunidade”

Declaração Universal dos Direitos do Homem

Opinião
Opinião

OPINIÃO

Opinião

Possui Mestrado e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo. Especializou-se em História Oral pela University of Essex, GB. Durante 25 anos foi pesquisadora, curadora e ministrou cursos em museus da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Implantou e coordenou dois projetos de História Oral: no Museu da Imagem e do Som-MIS/SP e no Museu da Imigração. Realiza pesquisa na área de História Social, com ênfase na imigração portuguesa para São Paulo. Sua obra Presença Portuguesa em São Paulo recebeu o 30º. Prêmio Clio de História em 2007. Autora do livro Beneficência Portuguesa de São Paulo: Um Século e Meio Provendo Saúde, 2009. Curadora das exposições: Os Construtores do Brasil, realizada pelo Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo; e Entre Portugal e Brasil: vida e obra do lousanense Comendador Montenegro, organizada pela Câmara Municipal da Lousã e em exibição no Átrio da Biblioteca Municipal Comendador Montenegro, Lousã, Portugal, de 28 de abril a 1º de julho de 2011.

Sônia Maria de Freitas
Professora, curadora e pesquisadora

Relações Brasil – Portugal: muito além das caravelas

Sônia Maria de Freitas é mineira de Divinópolis, descendente de portugueses, radicada em São Paulo há 34 anos. “Ao longo dos últimos 11 anos, tenho estudado a imigração portuguesa em São Paulo, o papel desempenhado por este grupo étnico para o desenvolvimento do país e a herança cultural lusitana no Brasil. Este trabalho tem um significado grande em minha vida porque representa um encontro com a minha origem e, ao mesmo tempo, uma homenagem ao meu avô paterno de origem portuguesa. Busco mostrar aos brasileiros a importância – nem sempre percebida – dos imigrantes portugueses e seus filhos para nossa história e na formação de nossa cultura.
Afinal as histórias de Brasil e Portugal se cruzaram várias vezes ao longo dos últimos 511 anos, em momentos que vão da chegada das caravelas ao movimento operário, do desenvolvimento econômico à repressão política e à democratização nos dois países. Pretendo, sim, com o trabalho que realizo estimular um olhar crítico sobre nossa história e levar a uma reflexão que quebre estereótipos e permita o reconhecimento do povo ibérico que está na raiz de nossa nacionalidade. Num entrelaçamento de Memória e História, construiu-se uma memória compartilhada, pois a história portuguesa se cruza com a história brasileira.
Na minha opinião, o Conselho da Comunidade Luso-Brasileiro do Estado de São Paulo é uma entidade muito importante por congregar as dezenas de associações e entidades da comunidade luso-brasileira do Estado, não medindo esforços para congregá-la, divulgando seus eventos e iniciativas.

Patrocinadores:
Premium
São Critóvão
Silver
BBR
Apoio:
Apoio
Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo
Edifício "Casa de Portugal" Av. Liberdade, 602 - São Paulo/SP - Cep 01502-001 - Celular/WhatsApp +55 (11) 94513-0350 - Telefones +55 (11) 3342-2241 e (11) 3209-5270
www.cclb.org.br - cclb@cclb.org.br - Entidade de Utilidade Pública - Lei Estadual 6.624 de 20/12/1989 - Jornalista responsável: Maristela Bignardi - MTb. 10.204

Somos privilegiados pela herança lusitana e também por podermos contar com o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo que é o órgão que congrega nossa cultura viva em solo paulista. Pelo Conselho a história não se perde, porque uma das diretrizes da entidade é preservar e valorizar nossos usos e costumes que mantêm a tradição de nossa gente sempre presente nos festivais, no folclore, na música e na gastronomia. A ação do Conselho é defender um legado histórico e cultural inestimável.

Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo